Design sem nome

Vila Velha: Avançam as obras do Centro Integrado Familiar no bairro Araçás

Com 60% da obra concluída, o Centro Integrado Familiar para Pessoas com Deficiência Intelectual, Múltipla e Autismo, em Araçás, quando for entregue, vai promover a inclusão e o respeito ao direito das pessoas com deficiência e suas famílias em Vila Velha.

Na manhã desta terça-feira (18), o prefeito Arnaldinho Borgo, secretários, vereadores, lideranças comunitárias, representantes de entidades filantrópicas e público em geral participaram de um café no local.

No local serão oferecidos serviços como de fonoaudiologia, pediatra, psicologia, clínico geral, terapia ocupacional, fisioterapia, neurologia, nutricionista, serviço de convivência e fortalecimento de vinculo e atendimento educacional especializado (AEE) na Educação.

A obra, executada em parceria com o Governo do Estado, tem previsão de ficar pronta no segundo semestre deste ano. O espaço amplo e acolhedor vai garantir mais dignidade às pessoas com deficiência e seus familiares, com atendimentos multidisciplinares.

Toda a estrutura é linear para facilitar a mobilidade. As fundações das construções dos diferentes blocos já foram finalizadas. Neste momento, estão sendo executados o chapisco e alvenarias de bloco de concreto e cerâmico do centro de convivência, além das instalações elétricas e hidrossanitárias; a parte estrutural das arquibancadas da quadra de esportes; e as coberturas de estrutura metálica do auditório e dos centros de convivência e educacional já estão na linha de produção para serem instaladas; entre outros serviços em andamento.

A secretária de Assistência Social, Letícia Goldner, falou da fila de espera das entidades e que o Centro Integrado vai zerar a fila no município.

“A fila de espera é gigante. São aproximadamente 900 pessoas aguardando uma vaga. Infelizmente ainda, a pessoa com deficiência vive enclausurada em suas casas. Essa convivência comunitária ainda tem que ser estimulada. E o novo centro terá nove edificações, que quando entregue vai zerar a fila de espera das entidades do município”, revelou a secretária.

A construção do centro envolveu a participação de entidades como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Vila Velha (APAE), Federação das APAES do Estado do Espírito Santo (Feapaes-ES) dentre outras.

Após o centro ficar pronto, o município vai lançar o chamamento público para que o espaço seja administrado por uma instituição da sociedade civil organizada, conforme prevê normas legislativas.

(DA REDAÇÃO \\ Guth Gutemberg)

(INF.\FONTE: Paulo Borges \\ Divulgação)

(FT.\CRÉD.: Edie Hallent \\ Divulgação)