Design sem nome (2)

Acidente na ponte de Anchieta: Controvérsias e suposta negligência no atendimento médico

Fabinho seguia para Piúma, o comerciante Silvino seguia para Anchieta quando a colisão ocorreu, em cima da ponte de acesso a cidade do Santo.

No início da noite deste domingo, 17, por volta das 18h30, um grave acidente ocorreu na Ponte de Anchieta, envolvendo um Fiat Strada e um Hyundai HB20. O comerciante Silvino Gonçalves da Silva, de 60 anos, conduzia a Strada, acompanhado de sua esposa Rosa Maria de Souza Gonçalves, de 57 anos, quando colidiu de frente com o HB20 dirigido por Fábio Luz, conhecido como Fábio Sereia ou Fábio Uber, de 50 anos.

Fábio, segundo a filha seguia de Anchieta para Piúma, quando teria pego o celular e perdido o controle do veículo. O acidente, segundo testemunhas e familiares, levantou questões sobre a possível embriaguez do motorista do HB20 e sobre a eficiência do atendimento médico prestado às vítimas.

A Revolta de Thiago Gonçalves

Thiago Souza Gonçalves, filho de Silvino e Rosa, expressou profunda indignação com o atendimento recebido por seus pais no Pronto Atendimento (PA) de Anchieta. Segundo Thiago, seu pai Silvino sofreu um corte na mão que não foi suturado e foi transferido para o Hospital São Lucas, em Vitória, com dores intensas no peito e sangramento na mão. Sua mãe, Rosa, ficou em observação no PA durante a noite, sem receber medicação para dor, e foi transferida na manhã seguinte para a Santa Casa de Cachoeiro de Itapemirim.

Thiago alega que, ao visitar o PA durante a madrugada, encontrou todos os médicos dormindo e nenhum profissional disponível para atender os pacientes. “Minha mãe passou a noite toda em observação, cheia de dor, e quando cheguei lá às 6h00 da manhã, não tinha ninguém para atendê-la. Todos os médicos estavam dormindo”, afirmou Thiago em entrevista.

Resposta da Prefeitura de Anchieta

Em resposta às acusações de negligência, a Prefeitura de Anchieta, através da Secretaria de Saúde, afirmou que os dois pacientes foram atendidos prontamente conforme os protocolos médicos. A nota oficial esclarece que Silvino foi transferido para um hospital da Grande Vitória para uma avaliação mais detalhada, e que Rosa estava aguardando uma vaga para ser transferida para Cachoeiro de Itapemirim, sendo acompanhada pela equipe de enfermagem durante todo o tempo.

A Secretaria de Saúde negou que os médicos estivessem dormindo, explicando que, no momento da filmagem, não havia pacientes para serem atendidos nos consultórios, e que os médicos são acionados em caso de emergência. Também destacou que o autor das filmagens não respeitou os protocolos da unidade e não tinha autorização para entrar em áreas restritas.

A Versão de Fábio Luz e sua Filha

Fábio Luz, o motorista do HB20, estava saindo da casa de sua filha em Anchieta e seguia em direção a Piúma quando ocorreu a colisão. Inicialmente, Fábio recusou atendimento na ambulância por não sentir sintomas, mas posteriormente solicitou auxílio médico devido a fortes dores no abdômen e face, e um deslocamento no joelho. Ele também foi transferido para o Hospital São Lucas e está em observação na Sala Vermelha. A filha de Fábio também afirmou que ele causou o acidente ao baixar para pegar o celular que caiu enquanto dirigia, e não por embriaguez.

Investigações e Expectativas

Thiago Gonçalves espera que as autoridades investiguem rigorosamente o caso, tanto em relação à possível embriaguez do motorista do HB20 quanto à qualidade do atendimento no PA de Anchieta. “Espero que haja uma melhoria nesse atendimento, porque, do jeito que está, as pessoas morrem por falta de organização e eficiência”, desabafou.

Enquanto isso, a família de Fábio Luz aguarda o Boletim de Ocorrência para esclarecer as circunstâncias do acidente. O caso está sendo acompanhado pelas autoridades locais, e novas informações devem surgir conforme as investigações avancem.

Matéria Atualizada, 12h03: Novos Relatos sobre o acidente na Ponte de Anchieta

A reportagem do Espírito Santo Notícias recebeu novos relatos sobre o acidente ocorrido na Ponte de Anchieta, que envolveu um Fiat Strada e um Hyundai HB20. O acidente continua gerando controvérsias e divergências sobre as circunstâncias e o atendimento médico prestado às vítimas.

Novos relatos sobre o acidente

Uma pessoa próxima a Fábio Luz, o motorista do HB20, afirmou que Fábio causou o acidente ao baixar para pegar o celular que havia caído enquanto dirigia, e não por embriaguez. “Eu não sei o que aconteceu porque estava em casa. Ele falou que o cara que bateu nele, até então, depois ele não falou mais nada, que ele deu uma desmaiada lá. Então, por certo mesmo, só ele que sabe. Quando ele me ligou, falou o que tinha acontecido, eu fui correndo para lá”, relatou.

Segundo essa fonte, Fábio mencionou estar saindo da casa de sua filha e indo para Piúma. Poucos minutos depois, ele sofreu o acidente. A fonte destacou que Fábio foi bem atendido no PA e que a unidade estava praticamente vazia. “Fábio chegou lá e foi atendido rapidamente. O pessoal do PA foi muito atencioso. Ele foi transferido para São Lucas depois de começar a sentir muitas dores e sangramento no joelho.”

Comentários do Socorrista

Um socorrista, que preferiu não se identificar, comentou sobre o atendimento no PA de Anchieta e a estrutura dos serviços de emergência. “São algumas situações que não vão mudar. O horário de descanso dos médicos é estendido. Eles fazem revezamento, mas, infelizmente, isso pode resultar em períodos sem médicos disponíveis para atendimento imediato”, afirmou. Ele também destacou que, embora o PA de Anchieta tenha suas limitações, o atendimento prestado durante o acidente foi adequado.

Outras Perspectivas e Expectativas

Enquanto isso, Thiago Gonçalves, filho de Silvino e Rosa, permanece insatisfeito com o atendimento recebido por seus pais. Ele espera que as autoridades tomem providências para melhorar os serviços de emergência no município.

(DA REDAÇÃO \\ Guth Gutemberg)

(INF.\FONTE: Internet \\ Espírito Santo Notícias)

(FT.\CRÉD.: Internet \\ Divulgação)